Covid-19: Não podemos baixar a guarda!

Ao longo do verão europeu, os países vinham de uma constante baixa no número de casos, no entanto, o relaxamento das medidas de combate a pandemia fizeram com que a Europa sofresse uma segunda onda no número de infectados pela Covid-19. E para especialistas da Organização Pan-americana de Saúde (Opas), a situação europeia é uma grande lição que os países que ainda não saíram da primeira onda tomassem. Isto é, não devemos baixar a guarda diante da pandemia. Por isso, uma das recomendações da Opas é estudar o que está acontecendo em cada estado ou município e agir rapidamente em nível local quando estiver claro que o vírus está circulando com rapidez.

Segundo a análise feita pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), o número de pacientes internados com doenças respiratórias graves cresce em regiões de 15 Estados brasileiros, incluindo 10 capitais. Em diversas regiões do país, há relatos e dados oficiais de hospitais públicos e privados, como por exemplo, São Paulo, Curitiba, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Luís. Os pesquisadores também apontam que a taxa de contágio da Covid-19 está acima de 1 em pelo menos 20 estados do país. Quando esse índice (Rt) está acima de 1, significa que a doença não está sob controle e ela vai continuar avançando.

De acordo com o Observatório de Síndromes Respiratórias da Universidade Federal da Paraíba, a taxa de contágio está nesse patamar em 20 Estados (Acre, Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins) e no Distrito Federal.
Até agora, o Ministério da Saúde brasileiro registrou a morte de 167 mil pessoas por covid-19. Mas especialistas da Fiocruz apontam que morreram neste ano ao menos 220 mil pessoas de doenças respiratórias graves (basicamente por covid-19). No ano passado, foram 5.324.